Minha história - Parte IV

1
Olá pessoal, desculpem por ter não postado ontem a quarta parte da série "Minha história", mas particularmente esta parte da minha vida e  história me incomoda e eu não gosto de relembrar, parece besteira mas para mim NÃO...afinal estou desenterrando partes adormecidas do que se passou na minha infância que não foram nada agradáveis. Vocês podem se perguntar, por que então você resolveu expor? Porque eu sempre quis que as pessoas que passam por isto soubessem que o que importa não é ter o sangue daqueles que te criam e te amam, e sim verdadeiramente chama-los e tê-los como  família...sim, eu amo minha família mesmo ela tendo me escolhido, dizem que família não se escolhe e eu fui escolhida de certa forma...
Minha história - Parte IV
Depois que minha tia me chamou de "filha" eu voltei para casa com inúmeras perguntas na cabeça mas não tive coragem de fazer nenhuma delas aos meus pais, me calei e mais uma vez minha cabeça ficou cheia de perguntas sem respostas...será que minha tia era minha mãe? E aquilo me assombrou por muito tempo...
Certo dia eu resolvi perguntar a minha mãe indiretamente coisas sobre minha tia...como ela e meu tio (irmão do meu pai) haviam se conhecido...e percebi que aquilo incomodou profundamente ela, com meu pai eu nunca ousei tocar nestes assuntos porque ele sempre foi muito quieto e reservado com relação a tudo.
Ela respondeu monossilabicamente minhas perguntas e eu fiquei com a dúvida por muito tempo.
Um dia resolvi falar que minha tia havia me chamado de filha e minha mãe ficou parada me observando e seu semblante mudou...percebi que ela ficou incomodada e não gostou do que eu havia falado e ela mais tarde no mesmo dia chegou a me dizer que era uma forma carinhosa de me tratar, nada além disto. Então eu tinha vontade de perguntar com todas as letras: - Quem é a minha mãe biológica então??? Mas eu não tinha coragem, tinha medo de magoa-la, de deixa-la triste...e eu ficava sempre, somente na vontade.
Depois que contei o episódio a minha mãe percebi que meus tios e minhas primas sumiram de casa, nunca mais nos visitaram e nós não fomos mais lá também, suspeitei que minha mãe havia falado com ela e por isto havia ocorrido o afastamento e eu não estava enganada, realmente elas conversaram e a conversa não havia sido amistosa.
Eu estava prestes a conhecer a verdade, eu havia falado na parte III da ida ao psicológo onde fiquei sabendo o significado da palavra "adotiva" e que eu era, enfim...não era filha biológica dos meus pais.
Agora vou contar como fiquei sabendo quem era de fato minha mãe biológica.
A parte mais difícil...a parte que eu soube da verdade de uma forma brusca. Relatei isto no blog da Natalie, quem não leu basta clicar no link ao lado >> Coisas de Natalie
Passaram-se poucos dias que eu havia contado o fato a minha mãe e ela pediu que eu fosse ao quarto buscar um objeto para ela, eu não me lembro qual objeto era...só sei que prontamente obedeci, e quando entrei vi um papel sobre a cama, muito curiosa fui olhar o que era...era uma certidão de nascimento.
Mãe...o nome da minha tia, Pai: Desconhecido...
Meu nome...perdi o chão e a respiração e senti meu mundo desabando aos poucos...ERA ISSO ENTÃO...sai do quarto com um nó na garganta e uma vontade de sair correndo, mas fingi que nada havia ocorrido, entreguei o objeto e minha mãe me perguntou se eu tinha algo a dizer e eu disse que não...que estava tudo bem.
Estava tudo bem nada...eu havia descoberto minha origem da pior maneira possível, me senti mal, triste e vazia e não sei descrever na verdade a sensação que eu senti, mas foi um turbilhão de sentimentos nada bons, o que foi pior foi saber que minha mãe não se importava muito com o que eu sentia ou não sabia lidar com isto.
Chorei a noite na cama escondida...por vários dias.
Continuo no próximo relato a quinta parte da história pessoas, beijo grande!
Comentários
1 Comentários

1 comentários:

Jeni disse... [Responder]

sua historia é muito interessante....



sorteio de Natal
www.stetica.net
veja vídeo abaixo
Vídeo sorteio


bjos

Postar um comentário