Minha história - Parte III

2
Olá ninas e ninos tudo bom? Peço desculpas pela ausência, mas estou gripada e com dores no corpo e confesso que para escrever algo aqui tenho que estar bem senão não rola!
Mas como eu firmei este compromisso de todo sábado postar a continuação do relato que fiz sobre a minha vida, aqui vai a terceira parte, já que ontem eu não postei.
Bjkss
...
Minha mãe foi à escola e como esperado a conversa com a pessoa que havia me feito aquela pergunta tão sem noção não foi amigável, minha mãe não me levou...só posso dizer que quando ela voltou para casa estava nervosa e chorou, sei que depois esta conversa se estendeu à igreja, não sei ao certo o que ocorreu porque minha mãe evitou tocar no assunto mas ela não me respondeu também o significado da palavra "adotiva" e eu aprendi da pior maneira possível, pelos outros...
Lembro-me que algumas coleguinhas da rua na época me olhavam torto, riam, fuxicavam e eu ficava triste porque sabia sobre o que estavam fuxicando...eu tentava ignorar, mas todo mundo sabe como isto é complicado.
Meus pais evitavam falar sobre o ocorrido e sobre o assunto mas resolveram me levar a uma psicóloga, mas na minha opinião isto não amenizou e não mudou nada.
A única coisa que ocorreu então foi que fiquei de fato sabendo que era adotiva, ou seja, que meus pais não eram meus pais de sangue, porque até então eu não sabia o significado da palavra e o sentido e passei a saber.
Meus pais agora sabiam também que eu sabia, mas não sabiam o que se passava dentro de mim, porque evitavam tocar no assunto e nunca me chamaram para dialogar abertamente sobre isto, eu considero isto um erro, sempre considerei, mas eu também não posso julgá-los porque eu sei que eles tem muita dificuldade para lidar com isto #Fato
Outra coisa que ocorreu na psicóloga foi que ela me falou, na ocasião, na frente dos meus pais que eu era adotiva e o que eu achava disto...imagina, ambos me olhando, eu sem saber o que dizer e a única coisa que eu lembro que eu disse é que era normal, que eu não achava nada, mentira...todo ser humano quer saber sua origem.
Eu sempre quis saber em quais circunstâncias aquilo tudo havia ocorrido e eu fui descobrindo aos poucos, ligando os fatos, afinal...não foram maneiras legais de descobrir a verdade.
Lembro-me que certa vez eu fui a casa da "D", que eu sempre tratei obviamente como "tia" e ela me chamou de filha. Perai...pensei eu, porque eu sabia que era adotiva, mas não sabia quem era minha mãe biológica, outras verdades começaram a vir a tona.
Bom gente, no próximo final de semana eu continuo o relato.
Ótimo domingão pra vocês!!!
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Jeni disse... [Responder]

imagino o q deve ter passado dentro da sua cabeça..

www.stetica.net
bjos

Larissinháa. disse... [Responder]

Nossa Gis, pelo pouco que eu pude acompanhar da sua história que no mínimo é lamentável já deu pra perceber que vc é uma vencedora, e que isso nem te abalou pra vc deixar de ser essa pessoa tão bela, e uma ótima mãe. (é o que vc passa)rsrs
Dá uma passadinha lá no meu blog, tem uma coisinha pra vc Beijokas.
http://tpmtudoparameninasl.blogspot.com/
Eu agora, sempre por aqui.

Postar um comentário