Resenha do Livro "A culpa é das Estrelas" de John Green

3
Antes de apresentar a resenha deste livro no blog adianto que é a primeira vez que resenho um livro aqui. Não sou professora de letras, mas de Artes. Não sou exímia leitora de livros, mas muitos deles fazem parte da minha lista favorita e "A culpa é das Estrelas" foi mais um adicionado a ela.
Perdoem se eu não souber passar uma impressão muito positiva do livro, é que realmente com ele (O li em 3 dias) eu me senti um pouco introspectiva e triste durante a leitura, mas também dei muitas risadas, o autor conseguiu dosar o drama de viver uma doença terminal com a plenitude da adolescência e situações engraçadas e até inusitadas.
Confesso que comecei a ler o livro A culpa é das Estrelas, depois que comecei a ler resenhas sobre ele, achei a sinopse interessante e não me decepcionei com o livro, muito pelo contrário, me surpreendi.


Sinopse:
Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante - o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos - o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico.
Mas em todo bom enrêdo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

Quando comecei a ler o livro comecei a comparar os dois protagonistas, Hazel e Augustus aos alunos que já tive com esta idade, mas conforme a leitura ia progredindo percebi que não, que ambos possuem uma visão bem ampla da dor e da vida, se comparados a adolescentes da mesma idade.
Uma das frases do livro que ficou martelando em minha cabeça foi...
" Este é o problema da dor...ela precisa ser sentida."
Não podia definir como uma pessoa que completa 13 anos sente ao descobrir que tem uma doença terminal, mas John Green descreveu o fato de uma forma que me fez compreender como deve, como "pode" ser e não é nada fácil...diria: é viver cada dia de uma vez, frase que vigora na vida das pessoas que passam por esta dor.
O interessante de tudo é que logo no início da história fictícia de Hazel e Gus, o encontro de ambos já pronuncia que algo novo e totalmente incontrolável vai surgir entre os dois, e não é uma paixão devastadora cheia de paixão e cenas de romance, não! É uma história cheia de lições de vida, que guardei e absorvi pra mim e olha que já sou uma balzaquiana.
O trama se desenvolve e além da luta contra o câncer e da paixão, o livro fala sobre descobertas, receios, encontros, desencontros, decepções e acima de tudo sobre a luta pela vida.
O final me surpreendeu e eu não vou fazer um resumo do livro, leia e tire suas conclusões. O que posso dizer é que é um livro que me emocionou...chorei e me emocionei muito.
Como eu disse, não sou um expert em resenhar livros, já que este não é o intuito do blog e nem tão pouco algo que eu costumava fazer, mas como eu mesmo disse, muitas pessoas já leram o livro e fizeram resenhas super interessantes e isto me impulsionou a ler o livro e a resenha-lo. Esta resenha foi uma das que mais gostei e a que me fez ter interesse pelo livro.
Se você leu o livro e tem algo a acrescentar, além do final que eu gostaria de saber,  que na minha concepção ficou meio vaga, deixe sua opinião aqui...
Beijos...Gi



Comentários
3 Comentários

3 comentários:

Patricia Santoni disse... [Responder]

Eu ja tinha o interesse de ler ele , agora com sua resenha então , só de ler esse pouquinho que vc escreveu ja deu para perceber que a historia é linda e que vale muito a pena ler , vou procurar esse livro por aqui , para eu ler ele.

Lohanne Freitas disse... [Responder]

Hum gostei muito da sua resenha! Deu vontade de ler esse livro, vou dar uma procurada por aqui pra ver se eu o encontro.

Regiane 'Carrie' Alencar disse... [Responder]

Eu gostei bastante, mas o final achei meio vago mesmo.

Postar um comentário